8 de maio de 2013

Inea monitora vazamento de óleo diesel no Paraíba do Sul


Técnicos do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) sobrevoaram nesta terça-feira toda a extensão do Rio Paraíba do Sul até São José do Barreiro (SP), onde no último domingo uma tentativa de furto causou um vazamento de óleo em quantidade não estimada de um oleoduto da Transpetro, empresa de transporte da Petrobras, para o Rio Sesmarias, afluente do Paraíba do Sul.


Segundo a presidente do Inea, Marilene Ramos, a empresa está sendo notificada a tomar todas as medidas de controle ambiental necessárias para minimizar os transtornos causados pelo acidente. A aplicação de multa não está descartada, depende da legislação ambiental e da agilidade da empresa em solucionar os problemas resultantes do vazamento.


Após o sobrevoo, os técnicos estimaram que mancha de óleo que chegou ao rio Paraíba do Sul estava com aproximadamente 30km de extensão, entre os municípios de Porto Real a Barra Mansa. De acordo com eles, a camada, porém, já estava bastante fina e superficial e em processo de degradação, ou seja, de evaporação, quando atinge a coloração prateada. O Centro de Informações e Emergências Ambientais do Inea e a Superintendência Regional do Médio Paraíba (SUPMEP) continuam monitorando a implementação das medidas de contenção e de recolhimento do combustível ao encargo da empresa.


Próximo ao local do vazamento, a Transpetro cavou canais para drenagem do óleo e poços superficiais para contenção. O combustível será recolhido por sucção por caminhões a vácuo e o terreno do entorno terá que ser descontaminado posteriormente.


Cinco municípios suspenderam a captação de água preventivamente: Porto Real, Quatis, Pinheiral, Volta Redonda e Barra Mansa. O superintendente do Inea na região do Médio Paraíba, Miguel Arcanjo, esclareceu, no entanto, que a medida tinha por objetivo evitar que o óleo danifique equipamentos do sistema de tratamento de água, comprometendo o abastecimento.


Segundo estimativa dos técnicos o vazamento ocorreu por volta das 19h do último domingo e a Transpetro identificou o problema por volta das 21h, em razão da queda de pressão no oleoduto. A mancha teria atingido o rio Sesmaria em Resende por volta das 13h de segunda-feira.


A possibilidade de a mancha de óleo atingir a estação de Santa Rita, onde é feita a transposição para o rio Guandu, em Piraí, está descartada. Apesar disso, medidas preventivas como a instalação de barreiras de contenção e de absorção na estação e ao longo do percurso da mancha de óleo no rio Paraíba foram providenciadas.


Nesta quarta-feira os técnicos do Inea farão um novo sobrevoo ao longo do rio Paraíba do Sul a fim de monitorar as condições do principal manancial em termo de abastecimento de água no Estado.


Mais notícias no site: www.destaquepopular.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário