15 de setembro de 2013

Resende é referência no tratamento da tuberculose


Resende foi escolhida pelo Ministério da Saúde para apresentar suas experiências de êxito no Programa Municipal de Controle da Tuberculose, durante uma oficina estratégica que está sendo realizada nesta semana, em Brasília.


Segundo a coordenadora do programa, Alyne dos Passos Reis, o município conseguiu melhorar os indicadores após a implementação da "dose supervisionada" dos medicamentos, o que acabou com os casos de abandono do tratamento da tuberculose em Resende.


- Uma das maiores dificuldades na adesão do paciente é manter o tratamento durante, no mínimo, seis meses. Muitos deixam de tomar o medicamento, pois se sentem melhor ou porque esquecem. Com a dose supervisionada, conseguimos garantir essa continuidade - disse.


A coordenadora explica que durante seis meses os pacientes devem comparecer diariamente a uma unidade de saúde para receber o medicamento. Os moradores de áreas abrangidas pelo Programa Saúde da Família podem se dirigir ao posto mais próximo de sua residência ou até mesmo solicitar a visita diária do agente comunitário de saúde a sua casa, para garantir o tratamento.


Já os pacientes que não têm cobertura do PSF devem ir ao Programa de Tuberculose, que atualmente funciona na rua Coronel Rocha Santos, 43, no bairro Jardim Brasília.


O Programa Municipal de Controle de Tuberculose oferece tratamento gratuito, com consulta médica com pneumologista e acompanhamento por equipe multiprofissional, composta de técnicos de enfermagem, enfermeira, assistente social e psicóloga. Além do medicamento, os pacientes têm acesso a exames, vale refeição e vale transporte.


Para ter ser atendido pelo serviço, os pacientes podem ser encaminhados por hospitais, unidades básicas ou podem procurar diretamente o programa. Eles são submetidos a exames de raio X, de escarro, entre outros. Após a confirmação do diagnóstico, é iniciado o tratamento. O programa também avalia todas as pessoas que tiveram contato com o doente.


A tuberculose é uma doença contagiosa causada pelo Bacilo de Koch, que ataca principalmente os pulmões, além de outras partes do corpo, como rins, olhos e ossos. A transmissão acontece pelo ar, através das tosse, espirro ou fala. O risco é maior em pessoas que convivem com doentes em lugares fechados e aquelas que vivem em condições precárias de habitação, alimentação e saúde. Portadores de doenças como diabetes, Aids, câncer e alcoolismo são também mais vulneráveis à contaminação pelo Bacilo.


Os principais sintomas são: tosse com escarro por duas semanas ou mais, às vezes com sangue; falta de apetite; emagrecimento; dor no peito; suores noturnos; cansaço fácil e febre baixa normalmente à tarde.


Em 2012, o índice de incidência de tuberculose em Resende foi de 27,88 casos por 100 mil habitantes.


Mais notícias no site: www.destaquepopular.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário